Bengals dispensam jogador cuja filha se tornou inspiração na batalha contra câncer

Devon Still, que mobilizou toda a comunidade da NFL no último ano, devido ao câncer da filha, agora com ela curada está sem emprego

Devon StillSe no ano passado o Cincinnati Bengals manteve Devon Still em seu elenco, o mesmo não pode ser dito para a nova temporada da NFL que se aproxima.

Neste sábado, dia que em as franquias da liga de futebol americano dos EUA precisam reduzir suas equipes para 53 atletas, os Bengals decidiram dispensar o defensive tackle, que se tornou um caso de superação por causa de sua filha doente.

Saiba mais

Philadelphia Eagles dispensa Tim Tebow no último dia de cortes
Tom Brady vence batalha judicial contra NFL e deve jogar na semana 1

“Nada além de amor pela organização dos Bengals e pela cidade de Cincinnati. Ambos me ajudaram a passar por um dos momentos mais obscuros de minha vida, e serei eternamente grato. É hora de seguir em frente e ver o que por aí”, escreveu o jogador nas redes sociais.

Em 2014, Leah, então com quatro anos, descobriu ter neuroblastoma, um tipo de câncer que ataca geralmente o abdômen de crianças e que costuma se espalhar rapidamente para outras partes do corpo. Devon Still quase foi cortado do Cincinnati na última temporada, mas acabou ficando exatamente para receber dinheiro e ajudar no tratamento da filha.

Além disso, os Bengals colocaram mais camisas à venda do jogador, e o valor arrecadado ajudaria nas pesquisas de câncer pediátrico e ao Hospital da Criança de Cincinnati – em apenas quatro dias, chegou a ser angariado US$ 400.000.

Em setembro do ano passado, Leah teve removido o tumor e os linfonodos. Já em março último, nenhum sinal da doença foi encontrado em seu corpo.

E há um mês e meio, durante a entrega do prêmio ESPY’S. Devon Still revelou que sua filha estava praticamente como era antes.

Deixe seu comentário